HOW TO: ir morar nos EUA

HOW TO: ir morar nos EUA

HOW TO: ir morar nos EUA

Depois de um período de certa calmaria em relação à migração de brasileiros para os EUA, enquanto o cenário econômico brasileiro era estável, a partir de 2015 uma nova onda de migração de brasileiros para os EUA toma força.

Nunca se falou tanto em ir morar nos EUA aqui no Brasil quanto nos últimos tempos. A crise econômica, a política caminhando para um colapso e a violência são três grandes motivos que têm levado os brasileiros a buscar meios para conseguir um visto permanente de mudança para a terra do Tio Sam.

Uma curiosidade é que em vista das décadas anteriores, onde os imigrantes brasileiros nos EUA eram uma leva composta basicamente por profissionais de base, sem muita qualificação, muitos sem nem ter hoje em dia os brasileiros que desejam ir morar nos estados unidos já têm um curso superior concluído e algum dinheiro para iniciar a vida lá.

O HOW TO de hoje aqui no After The Plane vem explicar algumas formas que são mais usadas por brasileiros para ir morar nos EUA.

Visto de Investidor (EB5)

Um visto um tanto quanto exclusivo, já que exige um investimento de US$500 mil dólares, o que hoje seria aproximadamente R$1,8 milhões de reais.

Esse investimento é voltado geralmente para quem tem uma empresa, e tem algumas exigências bem burocráticas, como a geração (e manutenção por, no mínimo, um ano) de pelo menos dez empregos permanentes em áreas com alto índice de desemprego, por exemplo.

Quando a área onde o investimento vai ser feito tem um índice de desemprego baixo, o investimento deve ser no mínimo de US$1 milhão de dólares (o que daria aproximadamente R$3.4 milhões hoje).

Esse visto é válido para toda a família (nesse caso os filhos devem estar em idade escolar para serem incluídos), e o imigrante já entra como residente dos Estados Unidos, podendo permanecer por dois anos (período de experiência).

Depois desses dois anos, o imigrante pode solicitar a residência definitiva.

Investidor com dupla cidadania (E-2)

Esse visto é voltado para brasileiros com dupla cidadania de países que tem acordo específico com os Estados Unidos sobre o visto. São esses países: Itália, Espanha, Alemanha e Japão.

Diferente do visto de tipo EB5, o visto E-2 não dá direito à residência permanente, precisando ser renovado a cada dois anos.

Além disso, para dar entrada nesse visto, o governo dos Estados Unidos deve aceitar sua proposta de investimento antes.

Visto de trabalho (H1b)

Quando você consegue um emprego formal nos Estados Unidos é esse o visto necessário para que você possa morar nos EUA.

Deve estar atrelado a um emprego no país e pode ser prorrogado por até cinco anos. Após isso a empresa pode solicitar ao governo americano a residência permanente do empregado, num processo que pode levar até vinte meses.

Entre as opções de emprego que você pode escolher para trabalhar nos Estados Unidos, você pode ser Au Pair.

O programa de Au Pair é voltado para mulheres (com idade entre 18 a 26 anos). A duração de um programa de Au Pair é até um ano morando com a família americana, e dentro desse período você tem duas semanas de férias remuneradas.

Além disso, um dos benefícios que geralmente são incluídos nos intercâmbios como Au Pair é o pagamento de uma bolsa de estudos, que geralmente a família americana paga, para que você se especialize no inglês.

As atividades como Au Pair incluem: cuidar das crianças, supervisionar as brincadeiras e demais atividades, ajudar com as lições da escola e arrumar a bagunça depois das atividades.

Algumas outras vagas de emprego que são oferecidas incluem: hostess, garçom, recepcionista, camareiro, instrutor de sky e salva vidas.

Lembrando que para preencher as vagas é preciso saber ler, escrever e falar inglês avançado ou fluente, pois as empresas geralmente utilizam processos seletivos que testam suas habilidades em inglês.

Visto de estudante (F e M)

Um velho conhecido aqui no After the Plane, o visto de estudante é usado por quem decide ir fazer intercâmbio nos Estados Unidos, seja para estudar em alguma universidade fora ou estudar inglês em alguma escola mesmo.

O problema é que esse visto não permite trabalhar nos EUA, então geralmente quem deseja ir morar nos EUA usa o visto de estudante como um teste. Passam um tempo nos Estados Unidos com esse visto antes de se mudar de vez.

Visto de estudante J-1

Esse visto é usado por estudantes estrangeiros que estão participando de algum tipo de programa de intercâmbio (foi o meu caso, participei do programa Ciências Sem Fronteiras e tirei o visto J-1).

Esse visto geralmente tem validade de um ano, mas em alguns casos esse tempo pode ser estendido, tudo depende do tipo de programa que o intercambista está participando.
Com o visto J-1, os estudantes tem autorização de trabalhar dentro do Campus por até 20 horas semanas durante o período letivo, e nas férias podem trabalhar em tempo integral – mas nesse caso o desempenho acadêmico deve ser bom e o estudante deve atender a todas as exigências do curso que está fazendo.
É possível conseguir uma Work Permit para trabalhar além do campus universitário, mas essa autorização só é concedida em casos onde o estudante passa por problemas financeiros.

Espero que tenham gostado das dicas sobre como ir morar nos EUA aqui no After The Plane!

Dúvidas ou sugestões? Comente aqui embaixo!

Cidades americanas com maior número de brasileiros
Up Next:

Cidades americanas com maior número de brasileiros

Cidades americanas com maior número de brasileiros